Todos os Direitos Reservados www.amigosdecambara.com.br 2013

CNH CUSTARÁ 20% MAIS CARAS COM AULAS EM SIMULADOR


Quem quiser tirar a Carteira Nacional de Habilitação a (CNH) a partir de agora terá de passar por cinco aulas em simulador de direção instalados na auto escolas. A nova regra, que começou a valer quarta-feira (1) , em todo Brasil. Vai elevar em até 20% o valor gasto na emissão do documento. Antes da mudança, o interessado em obter a permissão para dirigir tinha de desembolsar, em média , R$1,2 mil segundo a Federação Nacional das Autoescolas (Feneauto). Com a alteração, esse valor subirá em até R$ 250. Definida por resolução do Conselho Nacional de Trânsito  (Contran), a norma é valida aoenas para a categoria B (habilitação paa automóvel).

As aulas  de 30 minutos cada , devem ser feitas obrigatoriamente antes do inicio da parte prática. As Atividades no simulador não diminuem o número mínimo de aulas práticas exigidas, 20 aulas de 50 minutos.
As aulas simuladas também não tem caráter eliminatório. “O Detran recebe um relatório com os resultados do aluno, mas não há uma avaliação . Aideia é permitir que o estudante se familiarize com situações de risco”, diz Silvio de Oliveira, diretor de ensino de Auto escola


A cada aula , o aluno vê o nível de dificuldade aumentar. A simulação começa com conceitos básicos e vai incorporando situações adversidade, como trafegar em vias em movimento, em pista escorregadia ou sob neblina intensa. “ É bem parecido com a realidade, a estrutura é idêntica  á do carro. Acho que  ajuda o aluno a ter mais noção  de ir para o trânsito real”, diz a aluna Joyce Lemos, de 27 anos.
Para Dirceu Rodrigues Alves Júnior, diretor da Associação Brasileira de Medina em Tráfego (Abramet), a inclusão de aulas simuladas ajuda a suprir um a carência na formação dos condutores. Os Cursos existentes são insuficientes, porque só ensinam  que é necessário para a prova prática.O aluno não tem contato com o risco que vai encontrar no dia a dia, eo simulador pode ajudar nisso.
Apesar da regra já estar em vigor, muitas autoescolas e Detrans  não se prepararam para a mudança “Algumas autoescolas não compraram as máquinas achando que a lei não ia pegar, e muitos Detrans não adequaram seus sistemas”, diz Magnelson Carlos de Souza, presidente da Feneauto.

 

DEMANDA
A prática provocou uma demanda maior no fim do ano para a instalação dos aparelhos e sobrecarregou as quatros empresas  habilitadas para fornecer os equipamentos. Muitos CFCs ainda aguardam a chegada do simulador. Segundo as empresas fornecedoras estão sendo cunmpridos.
O custo médio de um aparaelho é de 40 mil, mas é possível obter o simulador por comodato. Em todos os casos , o custo é repassado para o consumidor. As autoescolas não são obrigadas  a ter a máquina e podem dividir o equipamento com outras empresas. A manutenção varia de mensalidades de R$ 750 a R$ 1.750 ou taxas de R$ 4 a R$ 15 por aula. Com esse custo, as autoescolas preveem que o preço médio da aula simulada seja de R$ 40, acima do que é pago pela prática, entre R$ 30 e R$ 35. As informações são do Jornal o Estado de S. Paulo.